segunda-feira, 6 de junho de 2016

Alepa lamenta falecimento do ex-governador, ex-senador e ex-ministro Jarbas Passarinho


A Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) lamenta profundamente o falecimento do ex-governador do Pará Jarbas Gonçalves Passarinho. Em sua trajetória política, Passarinho também exerceu os cargos de senador e ministro, sempre defendendo os interesses do povo paraense.  

Jarbas Passarinho tinha 96 anos e faleceu em casa, em Brasília, por problemas de saúde relacionados à idade avançada. Casou-se com Ruth de Castro Gonçalves, com quem teve cinco filhos.

"É com profundo pesar que soube do falecimento do ex-governador, ex-senador e ex-ministro Jarbas Passarinho", lamentou o presidente do Parlamento paraense, deputado Marcio Miranda. "Foi um exemplo de integridade e honradez! Minha solidariedade aos familiares, parenses e amigos", concluiu o parlamentar. 

O velório de Jarbas Passarinho acontece na capital federal, onde o político já morava há anos. O sepultamento também está programado para acontecer em Brasília, às 16 horas, no Campo da Esperança.

O Governo do Pará decretou Luto Oficial por três dias.

TRAJETÓRIA - Passarinho nasceu em Xapuri, no Acre, em 11 de janeiro de 1920. Ainda criança, aos três anos de idade, mudou-se, com a família, para Belém. No sul, estudou na Escola Preparatória de Cadetes de Porto Alegre. Em 1940, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde passou a frequentar a Escola Militar de Realengo. Daí pra frente, Passarinho seguiu carreira militar, até em 1962 alcançar o posto de Tenente-Coronel.  Em 1964, indicado por Castelo Branco, Passarinho assumiu o Governo do Pará, eleito, inclusive, pela Assembleia do Estado.

Em 1966, tornou-se senador também pelo Pará. Em 1977, convidado pelo então presidente da República Arthur da Costa e Silva, assumiu o Ministério do Trabalho e Previdência Social. Em 1969, assumiu o Ministério da Educação. Em 1974, voltou a ser senador. Em 1981, tornou-se presidente do Senado Federal. Em 1983, tornou-se, mais um vez, Ministro da Previdência. Já no início da década de 90, no governo Fernando Collor, assumiu o Ministério da Justiça. Em 1992, retornou ao Senado onde exerceu seu último mandato até o ano de 1995.


*Fotos Reprodução/ EBC e TV Câmara


Fonte: Assembléia Legislativa
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores