terça-feira, 28 de junho de 2016

Inverno requer atenção especial para aneurisma cerebral


Neurocirurgião alerta para probabilidade maior de aneurisma devido as temperaturas mais baixas.

Imagine uma dor descrita como a sensação de que um raio atingiu sua cabeça. Imaginou? Difícil, não é? Mas, saiba que esse é o principal sintoma de quem já teve um aneurisma cerebral que, na maioria das vezes, só pode ser descoberto quando se rompe, exigindo socorro imediato. Para o neurocirurgião Dr. Luiz Daniel Cetl, especialista pela UNIFESP, em épocas de temperaturas mais baixas, aumentam os casos de aneurisma cerebral, o que requer ainda mais atenção aos sintomas. “Nos dias mais frios, nosso corpo procura regular a sensibilidade térmica e tenta se aquecer. Há uma diminuição no diâmetro das artérias e veias, e isso cria dificuldade para a passagem e circulação do sangue, o que pode contribuir para o sangramento do aneurisma”.

O aneurisma é uma dilatação ou alargamento que se forma na parede enfraquecida de uma artéria, em geral de origem congênita, e que não apresenta sintomas anteriores, enquanto está crescendo. Assintomática antes da hemorragia, a doença costuma ser identificada acidentalmente, quando são realizados exames para outras queixas do paciente, e nestes casos é possivel realizar o tratamento adequado.

O neurocirurgião explica que, quando o aneurisma sangra, é sinal de que houve o rompimento das artérias cerebrais, o que pode ocasionar a perda de consciência e uma terrível dor de cabeça. “Nestes casos, é imprescindível que se leve o paciente imediatamente ao hospital, pois existe a possibilidade de uma contração dos vasos e o sangue pode se esparrar pelo cérebro, levando as artérias a se contraírem”.

Se detectado antes do rompimento, o tratamento poder ser programado; quando diagnosticado após a ruptura, deve-se tratar com urgência. Em ambos os casos, o procedimento padrão é o tratamento microcirúrgico (cirurgia aberta com auxílio de microscópio cirúrgico) e, mais recentemente, vem crescendo a opção do tratamento endovascular (embolização).

Saiba mais sobre aneurisma cerebral, sua incidência, diagnóstico, causas, sintomas e tratamentos, assistindo à videorreportagem no link a seguir:https://youtu.be/Q6bLyTdW5lk

Fonte para entrevista:
Dr. Luiz Daniel Cetl é referência no tratamento das epilepsias e tumores cerebrais. Especialista pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), membro do grupo de tumores do Departamento de Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e integrante da Associação dos Neurocirurgiões do Estado de São Paulo (SONESP). Atua ainda como preceptor de cirurgia de tumores cerebrais no Departamento de Neurocirurgia da Unifesp.

Dr. Luiz Cetl na Web:

Informações para a Imprensa
Baruco Comunicação Estratégica
11 3539.9901| info@baruco.com.br –
Aline Aprileo 11 9 6986.6278 – aline.aprileo@baruco.com.br
Ricardo Berlitz 11 9 9645-2067 – berlitz@baruco.com.br

Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores