quarta-feira, 22 de junho de 2016

Websites com conteúdos editorais premium incentivam envolvimento dos consumidores com a publicidade móvel


Estudo da Teads mostra que anúncios em vídeo nativo inseridos em artigos influem na intenção de compra mais do que aqueles colocados em feeds sociais e websites de compartilhamento de vídeos.

Miami, FL –20 de junho de 2016: A Teads, inventora da publicidade em vídeo nativo e plataforma de monetização global para publishers, divulgou hoje novas conclusões sobre o rastreamento ocular. A partir de um estudo realizado pela empresa, ficou comprovado que anúncios colocados em artigos editoriais premium aumentam a intenção de compra dos consumidores em 10%. O levantamento também mostrou que feeds sociais e websites de compartilhamento de vídeo não têm impacto mensurável nessa questão.

As conclusões da pesquisa mostram que os usuários que leem artigos editoriais premium apresentam uma menor velocidade de rolagem devido a um maior envolvimento. Esses consumidores ficam muito mais engajados e possuem um humor mais atencioso e concentrado, que permite um momento mais eficaz para que os publicitários apresentem suas mensagens de branding.

Os dados apontam que, nos feeds sociais os usuários cobrem um número maior de conteúdos, porém rolam mais rápido pela tela, não se prendendo a nenhum deles. Já em sites premium, essas mesmas pessoas agem diferente, rolando pela página de maneira mais lenta, o que aumenta o tempo de engajamento, pois 23% delas afirmam que são mais propensos a ler conteúdos inseridos em sites editoriais. Assim, anúncios em vídeo incorporados nesses ambientes possuem mais chances de atraírem a atenção do que aqueles em um contexto de feed social.

Nos espaços editoriais, quando a publicidade está inserida no meio de artigos, nove em cada dez usuários acabam parando para visualizar o vídeo, o que faz com que o tempo gasto interagindo com esse conteúdo seja 24% maior do que o despendido com feeds sociais, onde apenas seis em cada dez pessoas acompanha um anúncio em vídeo. O tempo gasto na leitura de conteúdos é o que leva ao aumento no envolvimento. O número de usuários engajados com esse processo em feeds sociais é de 65%, enquanto em sites editoriais chega aos  80%.

Quando o assunto é o que tem menos impacto na interação anúncio/usuário aparece, em primeiro lugar, a exposição forçada a um vídeo publicitário. Pois, nesse contexto, altas taxas de visuabilidade e tempo de permanência não podem mais garantir aumentos no conhecimento do anúncio. Por outro lado, publicidade em vídeo em artigos aumenta o reconhecimento espontâneo da marca em duas vezes em relação a anúncios pré-roll ignoráveis para quem foi exposto por mais de dois segundos. Aliás, ao visualizar anúncios nesse último formato, cerca de 9 em cada 10 entrevistados focam no botão  “pular”.

O que o estudo da Teads também mostrou foi que a Geração Y, primeira inteiramente conectada, reage de maneira distinta a essa exposição. Eles reconhecem melhor vídeos nativos e possuem uma maior capacidade cognitiva para processar conteúdo paralelo em rápida sucessão. Indivíduos dessa Geração são duas vezes mais propensos a reconhecer anúncios de vídeo após sua exposição do que pessoas com mais de 40 anos.

“Com o crescimento dos dispositivos móveis, há diversos ambientes de conteúdo para os anunciantes atingirem seus públicos, o que inevitavelmente põe em questão quais deles são os mais eficazes no envolvimento dos consumidores”, afirma Bertrand Quesada, CEO da Teads. “Este estudo prova que sites editorais premium são o local mais eficaz para as marcas anunciarem, além de prometerem um usuário mais relaxado e engajado, com mais atenção e foco garantidos no anúncio.”

Usando rastreadores oculares móveis de alta definição, a Teads expôs 115 participantes a diversos anúncios em vídeo, em uma variedade de websites mobile, em seus smartphones para determinar as percepções e reações deles no engajamento com os anúncios em vários ambientes de conteúdo. A sessão foi seguida de uma entrevista para reunir KPIs relevantes de eficácia. Para ver o exercício de rastreamento em ação, clique aqui.

Para fazer o download de uma cópia do estudo Eye Tracking da Teads, por favor clique aqui.

Sobre a Teads

A Teads, fundada em 2011, é a inventora da publicidade outstream em vídeo e é uma plataforma de monetização global para publishers. Eles trabalham com a companhia para criar um novíssimo inventário de vídeo e gerenciar o já existente, monetizando-o por meio da compra programática, da sua própria força de vendas, ou de terceiros.

As soluções de publicidade nativa em vídeo da Teads abrangem uma série de formatos inseridos em conteúdos de mídia, com o inRead sendo reproduzido dentro de artigos. Ela está mudando o jogo no mercado de publicidade em vídeo, criando níveis sem precedentes de inventário premium, disponíveis na web e em dispositivos móveis, por meio de serviços programáticos ou gerenciados. Com seus recursos de serviços gerenciados, a equipe Teads executa em nome de seus clientes usando plataforma própria.

A Teads tem uma equipe de mais de 450 funcionários, 100 dos quais estão na equipe de inovação, em 28 escritórios divididos em 19 países.

Fonte: André Oliveira, Bruna Chioro
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores