quinta-feira, 23 de junho de 2016

Sala da Comissão de Direitos Humanos passa a se chamar “Deputado Paulo Fonteles”


Com a aprovação em redação final nesta terça-feira (21/06), o Projeto de Resolução (PR) 32/2015, de autoria do deputado Carlos Bordalo, durante a Sessão Ordinária na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), a sala da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Casa, passa a ser denominada de “Deputado Paulo Fonteles”.

“É importante prestar nossas homenagens a este grande homem e reconhecer que ele nos ensinou como cidadão, sindicalista e deputado, a lutar diante das injustiças, que é possível construir uma sociedade igualitária”, argumentou Carlos Bordalo, autor do projeto.

Assassinado no dia 11 de junho de 1987 por latifundiários quando viajava para o interior do estado, Paulo Fonteles foi morto com apenas 38 anos de idade. Hoje, a história de Fonteles  inspira milhões de pessoas por todo o Brasil. Ele é símbolo para os trabalhadores rurais que lutam pela reforma agrária. O ex-deputado fundou o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), trabalhou pela reforma agrária, pelo socialismo e lutou contra a ditadura militar. “Ele atuava com um pé no Plenário e outro nas ruas, aliado não apenas dos camponeses, mas também da juventude e dos trabalhadores urbanos”, disse Paulo Fonteles Filho. 

O último dia 11 de junho marcou os 29 anos do assassinato do ex-deputado estadual e advogado de posseiros na região do sul do Pará, Paulo Fonteles.

O PROJETO - O Projeto de Resolução é analisado da mesma forma que um Projeto de Lei, sendo aprovado pela maioria, após ser apreciado em vários turnos até chegar ao texto definitivo por meio da redação final e será transformado em lei pela própria Assembleia Legislativa.

Fonte: Assembléia Legislativa
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores