terça-feira, 28 de junho de 2016

App de delivery de pizzas já chega ao mercado como líder


O aplicativo nasce com quatro mil pizzarias, maior base de um app no país em alimentação focada em um único segmento 


Pizza.com.br, aplicativo especializado em delivery da iguaria, chega ao mercado como líder no segmento e proprietário da maior base de cardápios do país. Ao todo são 4 mil estabelecimentos cadastrados em seu sistema, dois quais 2 mil na capital, outros 1 mil na Grande São Paulo e 1 mil no interior, em um total de 28 municípios. Até o próximo ano outras capitais passarão a ter pizzarias cadastradas no sistema. Nenhum outro app do país possuiu tantas pizzarias.

Disponível gratuitamente nos sistemas Android e iOS, o aplicativo funciona por geolocalização. Ao ser acessado, o app informa a quantidade de pizzarias que entregam na região onde a pessoa se encontra, o cardápio de cada uma delas, formas de pagamento aceitas, taxas de entrega, horários de funcionamento e se a pizzaria está aberta ou fechada. Além disso, também informa o endereço do estabelecimento e traça a rota do local ao restaurante. Outro diferencial do Pizza é que o usuário pode sugerir a inclusão de lojas que não estejam cadastradas no banco de dados do aplicativo.


Em um primeiro momento, o cliente usará o app para escolher a pizzaria e fazer o pedido por telefone. O modelo traz vantagens tanto para o consumidor quanto para as pizzarias, como explica Roberto Chilvarguer, um dos criadores. “Cerca de 95% dos pedidos de pizza no Brasil são feitos por telefone. Queremos respeitar essa cultura, enquanto educamos novos usuários de smartphones a acessarem o aplicativo. Para a pizzaria, o modelo também representa uma grande vantagem, já que não cobramos nenhuma taxa ou percentual gerado por vendas. O Pizza é ainda uma oportunidade de inclusão digital para muitos comerciantes começarem a se adaptar a essa nova realidade”.

Segundo Chilvarguer, a chegada de uma plataforma exclusiva para pizzas é algo muito importante para o atual cenário do país, além de se encaixar perfeitamente com características culturais típicas. “O brasileiro ama pizza e o uso de aplicativos para pedir comida vem se popularizando rapidamente. Porém, hoje em dia, ainda é muito complexo para alguns realizar o pedido pelo app. Então, para muitos, é mais fácil pedir pelo telefone. Acreditamos que ao oferecer um produto mais simples, conquistaremos a simpatia do mercado”, diz.

De acordo com Chilvarguer, o modelo de negócio, diferente de todos os outros aplicativos de alimentação, tem foco em duas fontes de receita principais: a publicidade, voltada para o consumidor, e a criação de um ambiente de negócios entre as pizzarias e os grandes fornecedores do segmento, por meio de uma área restrita às próprias pizzarias. O modelo para pedir pizza pelo próprio app deve também ser incorporado ao negócio no fim do ano, mas o método telefônico continuará disponível ao usuário.

O mercado de pizzarias no Brasil movimenta anualmente cerca de R$ 22 bilhões e vende mais de 648 milhões de unidades ano, segundo dados da Associação Pizzarias Unidas. De acordo com a entidade, a principal do setor, São Paulo se destaca no consumo, com mais de 580 mil unidades vendidas por dia, grande parte via delivery, nas 11 mil pizzarias do Estado

Sobre o Pizza


Pizza.com.br é uma startup de tecnologia voltada ao mercado da pizza, que promove a inclusão digital das pizzarias por meio de ferramentas para fomentar as vendas, ajudar na gestão e no relacionamento com o mercado de Food Services. Fruto da ideia dos irmãos Sergio, Fernando e Roberto Chilvarguer, que sempre estiveram ligados ao mundo digital, o domínio foi registrado em 1998, mas a ideia apenas foi colocada em prática no ano passado, após uma análise das condições do mercado e da carência de tecnologia do setor. Investindo no mobile, a empresa busca atender aos desejos do consumidor, facilitando o ato de pedir pizza, e também das pizzarias, oferecendo o serviço gratuitamente, fomentando o mercado e introduzindo o empresário do setor às inovações tecnológicas que devem revolucionar o mercado nos próximos anos.
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores