quinta-feira, 14 de julho de 2016

Como transformar o APL em programa vencedor*


Como transformar o APL em programa vencedor*
Jefferson José da Conceição
No último dia 17 de junho, o presidente nacional do Sebrae, o ex-ministro Guilherme Afif Domingos, premiou a gestão do prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, com o Selo de Prefeito Empreendedor, graças a dois projetos desenvolvidos. Um deles apresentava a experiência de estruturação e execução de uma rede de 11 APLs (Arranjos Produtivos Locais); e o outro, da implementação da Incubadora de Empreendimentos Solidários de São Bernardo do Campo, a SBCSol, modelo então inédito no Brasil.
Os APLs, representam a aproximação e o diálogo entre empresas e instituições de um mesmo território para uma ação coordenada. Visam crescimento da produção e competitividade. O APL contribui para levantar problemas comuns às empresas, elaborar e executar políticas (públicas e privadas) que promovam o fomento da atividade produtiva no território.
Em São Bernardo do Campo, entre 2012 e 2015, buscou-se aplicar em cada APL o formato internacionalmente conhecido como “tríplice hélice” (gestão pública, empresas e universidades). Na época, foram desenvolvidos simultaneamente 11 APLs: Ferramentaria; Defesa; Móveis; Têxtil e Confecções; Gráficas; Químico; Design, Audiovisual e Economia Criativa; Panificação; Restaurantes, bares e afins; Turismo; e Pesqueiros. Vou tratar, neste artigo, de seis APLs.
Ferramentaria - Este APL é o mais antigo de todos e registrou importantes avanços. Foi formado em 2011, com a união de empresários do setor no Grande ABC, Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá e Prefeituras de São Bernardo do Campo e Diadema. A partir dos objetivos citados, diversas ações e realizações do APL tornaram-se realidade. Entre elas, destaco: participação do APL no grupo de trabalho do governo federal que trata do Regime Automotivo; inclusão dos moldes e ferramentais entre os itens beneficiados pelo Inovar-Auto (novo regime automotivo); o início das conversações com as montadoras, para incrementar as encomendas no Brasil.
Gráficas do Grande ABC e Baixada Santista - Em 2009, o Singrafs (Sindicato das Indústrias Gráficas do Grande ABC e Baixada Santista) cria o APL. Em 2013, a atuação do APL é retomada com apoio da Prefeitura de São Bernardo do Campo. Organizou-se uma pauta. Entre as principais ações do APL gráfico destacam-se: o uso do cartão BNDES para compra de papel comercial (antiga reivindicação dos empresários do setor); convênio com a Caixa Econômica Federal que abriu linha especial de crédito para as gráficas que faziam parte do APL; e lançamento de uma revista própria.
Têxtil e de Confecções do Grande ABC - A indústria têxtil e de confecções é uma das mais tradicionais cadeias produtivas. No Brasil, emprega 1,7 milhões de pessoas (as mulheres representam 75%). No Grande ABC, em 2013, a produção foi de 37 mil ton. (têxtil) e 13 mil toneladas (confecções), gerando 9.700 empregos. O APL do Grande ABC, iniciado no final de 2013, trouxe à tona temas como qualificação de mão de obra, novos mercados e financiamento. Até meados de 2015, participaram da coordenação a Prefeitura de São Bernardo, o grupo VIC (Vestindo e Investindo em Confecção), o Sindicato dos Profissionais em confecção do Grande ABC e o Sebrae. Parcerias com instituições como Senai e FEI geraram novos cursos de qualificação. Convênio com a Caixa Econômica proporcionou linha especial de crédito. Foi criado catálogo on line e enviado para toda rede de comércios e indústrias, visando a divulgação das empresas.
Moveleiro do Grande ABC - Já havia um APL desde o ano de 2002, mas estava desativado. Entre as principais ações deste APL destacam-se: realização de seis edições da feira de móveis na Rua Jurubatuba, com significativo acréscimo de vendas e grande afluência de consumidores; acordo entre empresas do APL moveleiro e a administração municipal para a concessão de descontos aos servidores; parceria com o Senai e posteriormente com o sindicato das indústrias moveleiras, para a elaboração e implementação de projeto de apartamento com mobiliário economicamente acessível aos moradores dos conjuntos habitacionais; só para citar algumas ações.
Design, Audiovisual e Economia Criativa - APL criado em 2013, a partir de iniciativas conjuntas da Prefeitura de São Bernardo do Campo,universidades (com destaque para o Instituto Mauá de Tecnologia e a UFABC) e empresas deste segmento. Obteve de início importante conquista: sua seleção por edital do Ministério da Cultura para fomento a APLs na área de economia criativa.
Restaurantes, Bares e Afins - Criado em 2011, tinha por finalidade reunir as empresas do setor para que, em parceria com a gestão pública e outras instituições (Sebrae, Senac, universidades, associações empresariais, sindicatos de trabalhadores entre outros), buscar soluções em conjunto para os diversos problemas em comum. Uma das ações originadas foi a primeira edição do Festival Rotas dos Sabores, em 2011. Depois dessa, várias outras ações passaram a fazer parte das atividades do APL: palestras sobre vigilância sanitária; cursos de manipulação de alimentos; cursos do departamento de zoonoses, especialmente o curso de controle de pragas; a licença sanitária simplificada, entre outros.
Apesar de todas as dificuldades conjunturais e estruturais enfrentadas, a Rede de APLs Grande ABC-São Bernardo do Campo, implementada entre 2012e 2015, foi um programa vencedor.
*A versão integral deste artigo encontra-se no blog: http://blogjeffdac.blogspot.com.br/
Jefferson José da Conceição é prof.dr. da USCS e atual diretor técnico da Adesampa. Foi secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo de São Bernardo do Campo entre janeiro de 2009 e julho de 2015.

Contatos
Adesampa - Telefone: 3224-6000;
http://www.adesampa.com.br/ 
 

Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores