quarta-feira, 20 de julho de 2016

Lord Lawson: melhor para a Europa que a UE se dissolva


 
 20-07-2016
 
 

 

 
 


Lord Lawson: melhor para a Europa que a UE se dissolva

Luis Dufaur (*)
 
 
Sir Nigel Lawson: melhor para a Europa que a UE se dissolva


Lord Nigel Lawson, ministro das finanças britânico de 1983 a 1989, ocupa hoje sua cadeira na Câmara dos Lordes ingleses. Em entrevista ele explicou antecipadamente as razões que levariam os súditos de Sua Majestade a votarem pela saída da União Europeia.

A primeira causa que preocupa os britânicos é a perda do controle das próprias fronteiras, controle este que toda nação cônscia de sua soberania deve ter, disse o experimentado político.

Segundo ele, pode-se aceitar um determinado número de imigrantes, mas não uma imigração ilimitada.

Outro fator de inconformidade é o fato de as leis excogitadas pelos órgãos da União Europeia passarem por cima de qualquer lei do Parlamento britânico. Da mesma maneira, os acórdãos do Tribunal Europeu de Justiça abalroam e esmagam qualquer decisão das instâncias dos Judiciários nacionais.

Profundamente inglês, Lord Lawson adora a França e por isso nela reside. E acha que o voto pelo Brexit não é contra Europa, mas contra a União Europeia. O ex-chanceler explica que durante grande parte de sua vida a União Europeia não existiu, e nem por isso ele deixou de gostar da civilização europeia. Do que ele não gosta é da União Europeia, ou UE.

E prosseguiu: “Minha sensação é de que se a UE fez algo de bom, foi no passado. Quando o império soviético veio abaixo, a UE forneceu aos países do bloco soviético uma direção para onde rumar. Mas isso já é passado.

“A UE já cumpriu qualquer objetivo útil para o qual poderia ter servido. Seria melhor para a Europa considerada em seu conjunto que a UE se dissolva. Todos os impérios, e esse é uma espécie de império, acabam se dissolvendo. Não durará para sempre”, explicou.

Os inimigos do Brexit levantaram o espantalho de uma explosão do Reino Unido após a separação – da Escócia, por exemplo. Mas Lord Lawson acredita que essa não é a ideia do povo escocês.

Abandonar o navio! Para muitos britânicos, e europeus continentais também,
a União Europeia entrou numa corrida louca para o fundo dos abismos.
Caricatura de Ben Garrison.

Para ele, tampouco o Brexit vai significar uma grande catástrofe. A maior parte do mundo não está na UE e não está morrendo ou sofrendo por causa disso. Até que para muitos países será melhor estarem fora da EU, e por certo melhor do que os países que estão dentro da União.

O problema não é econômico. O problema é que a UE sempre foi um projeto político, sem dizê-lo claramente, enquanto que a maioria das pessoas não quer isso. Por isso, é um projeto profundamente antidemocrático. E é estúpido tentar que os povos façam parte de um projeto cujos objetivos não compartem. É um projeto absurdo, sublinhou.
          ( * ) Luis Dufaur é escritor, jornalista, conferencista de política internacional e colaborador da ABIM
 
 

 
 
 
Fonte: Agência Boa Imprensa – (ABIM)

Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores