segunda-feira, 25 de julho de 2016

Explosivos no corpo de candidato da OAB eram balas de gengibre


O “homem-bomba” que ameaçou explodir a Unijorge, em Salvador, na noite deste domingo (24), durante um exame da Ordem dos Advogados do Brasil, não usava um colete com explosivos, mas sim feito com balas de gengibre, segundo informou a Secretaria de Segurança Pública da Bahia na noite deste domingo (24).

De acordo com o G1, a ameaça causou pânico e correria no local. Identificado como Frank Oliveira da Costa, o homem se entregou à polícia no fim da tarde de ontem.

Testemunhas disseram que o homem tentou passar na prova da OAB por onze vezes. Ele foi autuado com um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), que caracteriza o não potencial ofensivo.

Frank vai responder crime com base no artigo 41 da Lei das Contravenções Penais por provocar alarme anunciando perigo ao produzir pânico ou tumulto. A pena varia de 15 dias a seis meses de prisão.

De acordo com o centro universitário Unijorge, Frank foi aluno da instituição por 10 anos e tem um histórico escolar regular.

Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores