segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Profissionais palestram sobre ortopedia e traumatologia durante Jornada


Mais de 170 pessoas participaram da II Jornada Santarena de Ortopedia e Traumatologia, realizada na sexta-feira, 21/10, no auditório da Universidade do Estado do Pará (Uepa). O evento foi realizado pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Pará (SBOT/PA), em parceria com o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA).

Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o quarto país das Américas em mortes no trânsito, com uma taxa de 23,4 mortes para cada 100 mil habitantes. Foram mais de 43 mil óbitos e cerca de 200 mil vítimas hospitalizadas em 2014, conforme dados do Ministério da Saúde. “Cada vez mais o número de acidentes automobilísticos e motociclísticos vêm aumentando e, hoje, nós vivemos, verdadeiramente, uma epidemia de fraturas expostas, que é uma entidade diagnóstica grave, porque pode levar à morte, ou, às vezes, sequelas definitivas, como também amputação”, revela o médico especialista em Reconstrução e Alongamento Ósseo e presidente da SBOT/PA, Marcus Preti.

Em Santarém, 645 acidentes de trânsito foram registrados pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito (SMT) em 2015. Por ser polo no atendimento à saúde, o município ainda recebe vítimas de toda a região Oeste do Pará. “A SBOT/PA está dando atenção para melhorar e qualificar o profissional de ortopedia e traumatologia. Como nós temos residência médica aqui, é importante promover o ensino e estimular as pessoas dessa região a procurar ter um maior aprimoramento na parte de ortopedia e traumatologia. A descentralização, ir para centros menores, é a grande ideia”, explica o organizador do evento e chefe da residência médica em Ortopedia e Traumatologia, Paulo Pires.

A programação contou com palestra ministrada pelo presidente da SBOT/PA, Marcus Preti, sobre “Reconstrução óssea nas fraturas expostas”. Em seguida, o cirurgião de mãos Rui Sérgio de Barros palestrou sobre “Abordagem nas mãos traumatizadas”. O último assunto tratado foi “Tumores ósseos benignos e malignos”, ministrado pelo médico Fernando Brasil Filho.

Para o diretor Geral do HRBA, Hebert Moreschi, o grande desafio é a descentralização da alta complexidade. “Nós temos um cenário difícil no Brasil, em que os grandes centros estão concentrando a maioria dos profissionais e, por sua vez, congestionando o sistema de saúde pela falta de resolutividade dos municípios vizinhos”. Para Moreschi, o HRBA tem papel fundamental para mudar esse cenário. “A tendência é que os pacientes que hoje são atendidos apenas em Santarém possam ser atendidos nos seus municípios, que devem absorver os profissionais formados aqui, com a residência no Hospital Regional. Nós temos um desafio que é grande, mas estamos na certeza que estamos no caminho certo. Não se muda a realidade da noite para o dia. Ela é construída”, finaliza o diretor.

Hospital
O Hospital Regional do Baixo Amazonas é uma unidade pública de saúde, pertencente ao Governo do Pará e administrado, desde 2008, pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar. O HRBA foi o primeiro hospital público do Norte a conquistar o certificado máximo de qualidade, a ONA 3 – Acreditado com Excelência. O hospital atende casos de média e alta complexidades e é referência em ensino e pesquisa na região amazônica da dos adolescentes do hospital.



Galeria de fotos:


Fonte: Hrba
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores