sexta-feira, 1 de julho de 2016

Crise brasileira abre portas para novos políticos


Marcelo Fachinello é um dos brasileiros que se encorajaram para tentar mudar o rumo do país.

Curitiba, 30/06/2016: Em meio aos escândalos envolvendo a política no Brasil, há quem diga que o país não tem mais salvação. Casos de corrupção e constantes manifestações populares são assuntos que estampam as capas dos jornais e engordam a pauta dos principais noticiários do rádio e da TV. O fato é que, com esse cenário de idas e vindas nas crises econômica e política, novas “caras” surgem para tentar mudar o rumo do país. Em Curitiba (PR), por exemplo, o quadro pede uma mudança urgente. Foi pensando nisso que o jornalista e apresentador de TV, Marcelo Fachinello, decidiu entrar no mundo da política.

Natural de Realeza, cidade do sudoeste do Paraná, Fachinello, de 36 anos, adotou Curitiba há 18 anos. Após convites do deputado federal Alex Canziani e do vereador Pier Petruziello, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), uma das siglas que mais crescem no país. “Pensei muito e fiz a escolha. Do convite até a decisão final, recebi sondagens e propostas de outros partidos, mas como havia dito que só seria candidato se fosse pelo PTB, tomei a decisão e penso ser a melhor para o momento”, explica Marcelo Fachinello, que é pré-candidato ao cargo de vereador.

Antes mesmo de ser convidado apara entrar na política, o jornalista sempre demonstrou interesse por campanhas e eleições de todos os portes. “O fator preponderante que motivou a minha decisão foi a necessidade de termos gente nova envolvida com gestão pública, com vontade de fazer o bem pela nossa cidade e representar de forma transparente o cidadão”, aponta.

Sobre o fato de começar a se envolver com política nesta fase de crise por todos os lados, Fachinello defende que este é o momento ideal para que novas pessoas e novas lideranças surjam a favor da população que luta todos os dias por uma posição melhor. “Não podemos apenas protestar e dizer que está tudo errado. Não podemos ser apenas uma estatística, então temos que nos envolver, discutir, debater e colocar em prática nossas ideias e ideais. Seria muito mais confortável seguir minha carreira profissional estável, mas quero contribuir nesse processo de transformação e, para isso, precisamos de gente disposta a fazer a boa política e não apenas se aproveitar dela”, enfatiza.

Trabalhar muito e de forma honesta é a principal meta de Fachinello. Segundo ele, a população não deve mais aceitar políticos que se aproveitam dos benefícios que a política oferece e não representam bem quem os elegeu. “O que o país precisa é de pessoas que trabalhem em equipe e coloquem em prática ações que vão ter impacto positivo na vida da cidade e, consequentemente, do cidadão”, explica.

Para Marcelo Fachinello, as eleições de 2016 vão ser diferentes. Isso porque é por meio do voto popular que o cidadão pode mudar o atual quadro político e escolher representantes melhores. “Isso precisa estar claro para o político eleito para que ele trabalhe melhor. Hoje esta realidade está mudando e eu acredito em uma grande renovação na política curitibana para o próximo ano”, completa.

Fonte: P+G Comunicação Integrada
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores