quarta-feira, 3 de agosto de 2016

A transformação digital precisa de espaço


Por José Renato Gonçalves, diretor de vendas da Orange Business Services

As organizações que privilegiam a mudança digital e utilizam a tecnologia de maneira estratégica para oferecer a melhor experiência ao cliente são as mais bem colocadas para ter sucesso na próxima década. Essa é a opinião de diversas empresas de pesquisa e é o que coloca milhares de empresas à frente de seus concorrentes.

Segundo a Gartner, estima-se que existam cerca de 125 mil grandes organizações que introduziram iniciativas de negócios digitais, e cujos CEOs esperam um aumento de mais de 80% em receitas digitais até 2020.

A transformação digital é parte importante de qualquer empresa que quer se manter relevante. Inovar é algo que deve estar sempre presente e, quem não se adapta vira espectador das atualizações dos concorrentes e certamente fica para trás. Por isso é importante saber como tratar e incentivar essas mudanças, buscar novas soluções para seus produtos e serviços, criar novas possibilidades e até mesmo, buscar novos mercados e receitas.

Essa opinião é compartilhada por várias empresas de pesquisa, apesar de que o relato da Forrester indique que apenas 27% das companhias têm uma estratégia coerente nesse sentido, demonstrando como isto impulsionará os negócios para o cliente.

O investimento em inovação tecnológica pode ocorrer até mesmo de formas simples, como apostar em Cloud Computing e redes híbridas, alternativas que reduzam a burocracia e facilitem tarefas complicadas. Criar um ambiente de trabalho aberto a novas ideias, incentivando a transformação digital, desenvolvendo produtos inovadores utilizando as melhores tecnologias.

Outro ponto essencial é que o uso constante de aplicativos móveis e serviços na nuvem, que podem ser acessados de qualquer lugar, faz com que negócios tenham que estar sempre disponíveis e de maneira segura para se manter ativos no mercado.

Se agarrar a modelos de negócio estáticos – mas que funcionam atualmente – e deixar de investir em opções inteligentes, capazes de atingir novos segmentos e oportunidades é um dos principais limitadores da inovação. Veja os modelos de negócio que distribuem música e filmes por meio da internet. As grandes produtoras e gravadoras não podiam imaginar que seu modelo de negócio precisava ser reinventado, atualizado. A transformação digital precisa de espaço, e os limites impostos podem custar caro.

Aqueles que ainda relutam a inovação tecnológica tem uma boa briga pela frente. Quando a burocracia tenta limitar a transformação digital, especialmente em níveis empresariais, oportunidades são perdidas, deixando de lado novos caminhos e possibilidades.



José Renato de Mello Gonçalves
Gerente de Vendas Brasil da Orange Business Services

José Renato tem mais de 15 anos de experiência nas áreas de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, trabalhando em grandes organizações.

Na Orange já foi gerente de contas sênior por 5 anos, administrando duas das principais contas brasileiras, além de ser responsável por desenvolver parcerias estratégicas. 

Ao longo de sua carreira, José Renato implementou estratégias de crescimento de negócios em mercados corporativos ou por meio de desenvolvimento de canais. A combinação de seus conhecimentos em TI e Telecom com habilidades de liderança e relacionamento faz dele um especialista em Comunicação Unificada.

O gerente é formando em Engenharia, possui MBA em Marketing pela ESPM e é fluente em inglês, espanhol e português.
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores