terça-feira, 11 de abril de 2017

Suspeito de matar sargento da PM confessa crime e diz: 'Ele estava enciumado'



Em depoimento à polícia, Marlon Nascimento disse que o sargento ficou com ciúmes porque ele contou que ia viajar para ficar com uma mulher.

O jovem identificado como Marlon de Souza Nascimento, de 25 anos, suspeito de matar o sargento da Polícia Militar Alcélio Farias do Carmo na Rodovia Federal BR-163, foi preso no início da tarde desta segunda-feira (10) em Santarém, oeste do Pará. Ele prestou depoimento na 16ª Seccional Urbana de Polícia e confessou ter disparado contra o policial.

Marlon foi pego em uma operação conjunta das polícias Civil e Militar. Ele se preparava para fugir numa balsa que iria para Monte Alegre. De acordo com a polícia, no momento da prisão, o suspeito estava dentro de um veículo num porto particular localizado no D.E.R, bairro da Prainha.

Depoimento
Marlon de Souza Nascimento disse à polícia que ele e o PM haviam iniciado uma discussão quando o suspeito avisou que iria viajar. “Ele estava enciumado porque eu ia viajar e ficar com uma coroa. A gente discutiu no carro e ele sacou a arma", disse.

No depoimento, o suspeito contou que também portava uma arma de fogo. "Ele usava uma arma e deixava a outra comigo. Na hora que ele me empurrou, e eu no instinto, com arma destravada e com o dedo no gatilho, disparei", declarou.

Marlon disse ainda em seu depoimento que estava bebendo desde cedo com sargento, que os dois tinham o hábito de passar a noite bebendo e passeando pela cidades para conversar.

O delegado da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, Germano do Vale, informou que o suspeito foi preso em flagrante pelo crime de latrocínio, uma vez que levou as armas e um cordão da vítima. “As armas já foram recuperadas e ele será encaminhado à justiça”, afirmou.



O crime
O corpo do sargento foi encontrado dentro de um carro no início da manhã desta segunda-feira (10). O veículo estava em um trecho da Rodovia Federal Santarém/Cuiabá (BR-163). A Polícia Civil foi acionada e a suspeita é de latrocínio - roubo seguido de morte, uma vez que o cordão e a arma foram subtraídos. A pistola ponto 40 estava em poder de Marlon e foi apreendida.

De acordo com informações do Samu, a vítima tinha uma perfuração na cabeça, provavelmente de uma arma de fogo. Ainda de acordo com a polícia, um projétil de uma pistola calibre 380 foi encontrado no banco do passageiro do carro.

A polícia disse também que um homem foi visto solicitando os serviços de um mototaxista minutos após o crime, às proximidades de onde o veículo com o corpo do policial foi encontrado.

Velório
O corpo do sargento está no IML e será liberado no início da tarde para o velório que acontecerá na Igreja São Pedro, no bairro Caranazal.

Amigos e colegas de trabalho estão consternados com a morte do sargento que era separado, tinha 49 anos de idade e morava no bairro do Mapiri. Ultimamente, Alcélio dormia no restaurante de sua propriedade, na praia do Maracanã.

Fonte: Santarém
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores