segunda-feira, 10 de abril de 2017

Com 100 dias de governo, Saúde continua sendo a maior preocupação do prefeito Nélio Aguiar



SANTARÉM E REGIÃO 

Eleito em outubro, Nélio Aguiar (DEM) assumiu a administração da cidade em 1º de janeiro. O Prefeito conta que a dívida com o INSS está emperrando a captação de recursos federais.

leito em outubro de 2016, Nélio Aguiar (DEM) assumiu a administração da cidade em 1º de janeiro. Passados 100 dias, o prefeito admite que sua gestão não conseguiu fazer tudo que estava planejado e que a escassez de recursos é o principal complicador, aliada ao período chuvoso que intensifica os problemas de infraestrutura na cidade que é carente de drenagem e asfalto.

Na entrevista ao G1 Santarém e Região, o prefeito Nélio Aguiar faz um balanço dos primeiros 100 dias de gestão, fala sobre o caos na saúde, das frentes de trabalho na infraestrutura, das obras paradas e das estratégias para colocar em prática o plano de governo, que foi publicado durante a campanha de 2016. Entre outras coisas, o plano previa a construção de um novo modelo de governo, com olhar sensível e inteligente sobre a arrecadação e uso dos recursos públicos.

Os assuntos destacados na entrevista foram:
Infraestrutura
Recursos federais
Saúde
Nepotismo

Confira a entrevista:

G1 Santarém - Como o senhor avalia os 100 primeiros dias da sua gestão?

Prefeito Nélio - Estamos fazendo um ajuste nas contas públicas, resgatando alguns compromissos de campanha. Minha campanha foi pé no chão, não me coloquei como salvador da pátria. Santarém precisa mudar pela forma de governar. Governamos mais próximo da população indo aos bairros. Criamos o programa "Prefeitura nos bairros", onde a prefeitura encontra com a população, levamos vários serviços para moradores de bairros distantes. Dessa forma, acredito que está sendo positiva. Em 100 dias não dá para fazer tudo e nem resolver todos os problemas.

G1 Santarém – Prefeito, o que a sua gestão conseguiu fazer concreto nesses primeiros 100 dias?

Prefeito Nélio - Já nesses primeiros 100 dias de gestão, o governo municipal conseguiu recurso no valor de R$75 milhões junto ao Ministério da Integração Nacional para a construção do projeto da orla. O ministro esteve aqui, já assinou a autorização da licitação e em seguida daremos início às obras. Outro compromisso de campanha que estou conseguindo colocar prática foi buscar apoio na bancada paraense no Congresso Nacional, pois não me interessa a cor partidária dos parlamentares. Eu quero governar para todos e buscar o apoio. Nesse período, já conseguimos cadastrar emendas parlamentares de quase R$13 milhões para Santarém e estamos na fase de elaboração dos projetos, depois vem a liberação desse recurso. São sementes que estamos plantando nesses primeiros 100 dias, mas que vamos colher mais para a frente um pouco, durante o governo. O resultado não é de imediato. Nossa prioridade agora é regularizar a situação financeira da prefeitura. Nós recebemos a folha e pagamento em atraso, débitos no INSS, obras paradas, e isso é difícil de resolver, mas já estamos negociando as dívidas. Logo vamos receber a certidão negativa e assim poder receber investimentos novamente. O pagamento dos servidores está em dia.

G1 Santarém - Em relação a infraestrutura, quais as ações que estão sendo desenvolvidas para solucionar os problemas?

Prefeito Nélio - Muitas obras estavam paradas devido às dívidas contraídas na gestão anterior que não foram pagas. A consequência para o município foi que ele ficou impedido de receber recursos federais até quitar todos os valores em atrasados. Tivemos que fazer a recuperação de equipamentos na área da infraestrutura e nesse momento coincidiu com o inverno amazônico, o período é de muita chuva e os buracos começaram a surgir. Vamos dar continuidade às obras essenciais. Eu me cobrei para que os trabalhos fossem feitos com a melhor qualidade e não somente apenas para tapar um buraco. A Seminfra está trabalhando com três equipes focadas na recuperação asfáltica. A gente exigiu que fosse feito um padrão, transformar o buraco em forma retangular, utilizando o rolo compressor para depois fazer a compactação da massa asfáltica e garantir qualidade ao serviço. O resultado disso tudo é sobre o efeito do que não foi executado ao longo dos últimos quatro anos. Estamos trabalhando direto. Nossa prioridade é pavimentação e conservação das ruas. Queremos implantar uma forma de conservação diferente na rua, que possa resistir ao inverno. Estamos elaborando projetos para a prolongamento da avenida Moaçara. Primeiro é preciso resolver o problema da Dom Frederico Costa. Apresentamos ao Ministério da Integração um projeto para construção de uma ponte de concreto na Dom Frederico. Estamos aguardando o resultado da análise desse projeto.

G1 Santarém - Como o senhor avalia o caos na saúde em Santarém?

Prefeito Nélio - Esse é um dos problemas que mais me preocupa. A maior dificuldade que o governo tem é solucionar os problemas relacionados à saúde local. Decidimos aditivar uns contratos que tínhamos. Mas devido aos débitos anteriores, os fornecedores não estavam atendendo as nossas solicitações e isso causou um desabastecimento nas unidades. Começamos a ter problemas porque em função da falta do pagamento no final da gestão anterior, uns não queriam continuar fornecendo para a gente e isso foi percebido logo na transição do governo. Esses problemas administrativos nos levaram a essa situação e tivemos que mudar a estratégia, por isso pensamos na situação de emergência, que nesse caso possibilita comprar com a dispensa de licitação, pois a saúde não pode esperar. Nós consultamos o Tribunal de Contas do Município e não foi recomendado que seja decretada a situação de emergência no caso da saúde. Optamos pela dispensa de licitação para a compra de medicamentos. Estamos trabalhando para conseguir novas ambulâncias. Precisamos de mais recursos para a saúde. Temos que concluir a reforma do Hospital Materno Infantil, mas o Ministério da Saúde informou que não será enviado nenhum recurso a mais para essa obra.

G1 Santarém - Sobre o tratamento dado às gestantes no Hospital Municipal, como pretende trabalhar para que a humanização no tratamento seja garantida?

Prefeito Nélio - Temos que melhorar a política de recursos humanos no hospital, criar uma gestação integrada, com treinamento, capacitação e orientação. É preciso ter maior pulso na hierarquia do hospital e isso tem que ser trabalhado com todos os profissionais que atuam no setor de obstetrícia. Pretendemos melhorar a questão do fardamento destes profissionais, bem como a identificação deles. Vamos disponibilizar ao usuário a Ouvidoria do Sus, para queixas, reclamações e sugestões.

G1 Santarém - Sobre o Nepotismo, como o senhor avalia essa prática?

Prefeito Nélio - O nosso compromisso é com o princípio da legalidade. Temos o portal da transparência que está liberado para a população realizar consultas. Não temos intenção de esconder nada dos cidadãos. Estamos seguindo a súmula do STF e já baixamos o decreto que veda casos de nepotismo na gestão. Vamos cobrar dos secretários que os cumpram o decreto. É preciso ver os tipos de caso de nepotismo (ético e cruzado). Por exemplo, no caso de um vereador da Câmara de Santarém, não caracteriza nepotismo cruzado se ele tiver parentes em várias secretarias da gestão e nós não tivermos ninguém lotado na Câmara. Já resolvemos alguns casos, mas ainda existem outras situações que estamos analisando.

G1 Santarém - O que a população de Santarém pode esperar da sua gestão?

Prefeito Nélio - Pode esperar muito trabalho. Nós seremos incansáveis na busca por melhor qualidade de vida para a população e melhorias para o município de Santarém.


Fonte: SANTARÉM
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores