sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Tecnologia aumenta segurança e produtividade de guindastes



Eletrônica embarcada em guindastes, gruas e veículos

de grande porte para transportes especiais facilita manutenção preventiva e agilidade das operações. 

Os avanços ocorridos nos últimos anos foram significativos, salienta o engenheiro Amilcar Spinetti Filho, da Locar Guindastes e Transportes  Intermodais. “Hoje, pode-se fazer todo o monitoramento dos equipamentos por meio de telemetria, com fluxo de informações, em tempo real, desde a hora da partida do motor da máquina, incluindo seu histórico de funcionamento (pressão, temperatura etc.). Com esses dados e o horímetro integrado à telemetria, podemos fazer a integração ao ERP (Enterprise Resource Planning/Planejamento dos Recursos da Empresa), o que nos propicia o controle dos períodos de manutenção preventiva e também alarmes em função das parametrizações de segurança ”.

A tecnologia embarcada oferece mais segurança para quem opera o equipamento e os contratantes dos serviços. “Existem bloqueios eletrônicos, independentes da ação dos operadores, que impedem qualquer ação que possa apresentar risco”, explica o engenheiro, enfatizando que também há ganhos de produtividade e precisão, pois os vários recursos disponíveis auxiliam o planejamento. 


Espaços confinados

“Uma possibilidade relevante propiciada pela eletrônica é que podemos trabalhar com os outriggers (vigas de sustentação para estabilização dos guindastes) completamente estendidos ou recolhidos; e em uma infinidade de posições diferentes”, relata Amilcar, ressaltando: “O ganho disso está diretamente relacionado à utilização dos equipamentos em espaços confinados. O guindaste, em cada situação, calcula automaticamente a capacidade de carga, evitando riscos de acidente. O operador define a área e configura o equipamento, reduzindo riscos de contatos mecânicos que possam gerar acidentes. Tudo isso contribui para a agilidade e precisão e, consequentemente, em ganhos de produtividade”.

A tecnologia reduz os erros e tira do operador algumas ações que visam exclusivamente à segurança da operação e de todos os envolvidos. Há cada vez mais sensoriamento em cada etapa do processo. As informações são mostradas em tempo real ao operador do guindaste, inclusive com alertas sonoros para casos em que se necessite de mais atenção. 

Os novos recursos também favorecem a manutenção, que precisa ser feita rigorosamente, para que todas as funções funcionem de modo sempre correto. “Temos fácil acesso a todas as informações relacionadas a eventuais defeitos apresentado pelo guindaste, por meio de códigos de erros apresentados no painel, além da interface com softwares, com os quais os técnicos podem coletar dados e realizar testes”, frisa o engenheiro.



Capacitação e treinamento

Amilcar afirma ser muito importante a capacitação e treinamento dos profissionais envolvidos na operação das máquinas com tecnologia de ponta embarcada. “É decisivo para que os recursos sejam utilizados de modo pleno, propiciando ganhos máximos de segurança, agilidade, precisão, produtividade e atendimento adequado às necessidades dos clientes”.

Para todos os guindastes e veículos adquiridos pela Locar, realiza-se avaliação interna dos colaboradores, identificando-se os melhores perfis profissionais para a operação de cada tipo de equipamento. O treinamento é suprido pelo fabricante, que emite um certificado para o colaborador, que, posteriormente, também passa por uma série de treinamentos internos na empresa. Somente depois desse processo é que os novos guindastes, gruas ou caminhões de grande porte entram em operação. 

Fonte: André Oliveira, aw informatica, Ricardo Viveiros & Associados
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores