sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Do e-commerce ao franchising: conheça a trajetória da RetrôMania



Rede oferece aos consumidores a oportunidade de vestir camisas atemporais, que carregam a história de seus clubes.

No país do futebol, só as dez maiores torcidas somam mais de 120 milhões de consumidores. Um cenário perfeito para quem consegue escrever o futuro com as glórias do passado. Pois foi exatamente o que o argentino Aldo Viale e o brasileiro André Rocha fizeram ao lançar a RetrôMania, marca de camisas históricas de futebol, rugby e basquete, que acaba de iniciar sua expansão por franquias. A empresa, que foi fundada em 2011, na cidade de Vitória, capital do Espírito Santo, percorreu um longo e interessante caminho antes de chegar ao franchising.

No início, o processo produtivo era terceirizado e a comercialização das camisas retrô era realizada apenas pelo e-commerce. Depois, os produtos chegaram às redes multimarcas. “A empresa vinha crescendo organicamente, mas éramos muito dependentes dos fornecedores. Só conseguíamos entregar cerca de 30% das encomendas. Era difícil encontrar parceiros com a qualidade desejada e o comprometimento necessário para atender uma demanda que só crescia”, lembra Viale.

Então, em 2014, chegava a hora de dar mais um importante passo. Os sócios optaram por investir na criação de uma fábrica, a fim de internalizar a produção. “Com a fabricação própria, ganhamos escala, qualidade e o controle sobre o prazos. No mundo dos esportes isso é vital. Vende mais o clube que está melhor posicionado nos campeonatos”, destaca Rocha. A partir daí, a empresa criou processos produtivos e logísticos com sistemas de pronta entrega capazes de disponibilizar seus produtos em qualquer lugar do país num prazo de 72 horas.

Com a expertise adquirida com a criação da fábrica, o e-commerce, as vendas no varejo multimarcas e duas lojas próprias, a empresa decidiu investir no franchising. “Adquirimos uma maturidade muito importante em todo o caminho percorrido. Agora nos sentimos prontos para oferecer aos franqueados um negócio bem estruturado, com alta qualidade, mercado em expansão e uma inteligência de gestão, baseada no nosso próprio know how”, garante Viale.

Outra grande preocupação da empresa é quanto ao licenciamento dos produtos. “Estamos em constante negociação com diferentes clubes das séries A, B, C e D para oferecer aos nossos clientes a maior variedade de produtos possível. Também fazemos parcerias com jogadores célebres, a fim de desenvolver camisas comemorativas das conquistas deles e de seus clubes”, explica Rocha. O mix de produtos inclui camisas masculinas, femininas e infantis, além de chaveiro, chinelo, caneca, entre outros mimos. Um dos diferenciais da marca é o equilíbrio entre a qualidade e o preço acessível.

A diversidade de produtos acaba originando outro fato interessante. Cerca de 50% das vendas são para presente. Datas comemorativas, como Dia dos Namorados, Dia dos Pais e Natal, registram sempre grandes picos de vendas. Muito disso se deve ao fato de que produtos retrô nunca saem de moda, diferentemente das camisas oficiais dos clubes, que ficam obsoletas com a troca de patrocinadores e jogadores. “Além de custarem menos da metade, as camisas retrô são atemporais e capazes de carregar um valor histórico e simbólico como nenhuma outra”, ressalta Viale.

Para os franqueados, esse também é um grande atrativo. Como a marca está formatada para o modelo de quiosques, instalados nos corredores dos shoppings, as camisas ficam mais visíveis, não sendo necessário procurar por elas. Em média, um quiosque comporta em torno de 600 camisas. “Toda segunda-feira, depois das rodadas do fim de semana, programamos a produção e entrega das camisas dos times que estão em alta. Assim, otimizamos o estoque e minimizamos os riscos de falta de produto. Ao nosso franqueado, cabe apenas se concentrar no atendimento aos clientes para vender mais”.

Com toda essa inteligência de negócio, a rede pretende inaugurar unidades nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte ainda em 2016. “Nossa expectativa é iniciar a expansão pelo Sudeste. Contudo, como temos multimarcas em todos estados, não existem fronteiras para o crescimento. Conhecemos as preferências de cada região e fazemos questão de entregar ao nosso futuro franqueado todo o conhecimento que construímos ao longo de nossa trajetória”, finaliza Viale.
Quiosque RetrôMania:                                                                                                                                               
Investimento: R$ 80 mil
Quiosque/ equipamentos: R$ 28.800 mil
Taxa de Franquia: R$ 20 mil
Estoque inicial: R$ 31.100 mil
Capital de Giro: R$ 5 mil  (incluso no investimento inicial)
Funcionários: dois mais o franqueado
Retorno: 12 a 18 meses
Metragem: de 6, 8 e 16 m²
Taxas de royalties: 5%
Sem fundo de propaganda e marketing

Informações para a imprensa:
InformaMídia Comunicação
Janaina Almeida

Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores