sábado, 12 de agosto de 2017

Amazônia é palco do Curso Internacional de Neurocirurgia Pediátrica



Profissionais e estudantes de diversas partes do mundo estão reunidos em Santarém para participar do “Curso Internacional de Neurocirurgia Pediátrica”, aberto no último dia 10 e cuja programação, realizada no Anfiteatro Selva da Casa do Saulo, na praia do Carapanari, segue até o dia 12. Organizado pela Sociedade Internacional de Neurocirurgia Pediátrica (ISPN) e pela Federação Latinoamericana de Sociedades de Neurocirurgia (Flanc), o evento conta com quase 60 palestras e discussões de casos, que serão conduzidas por expoentes da neurocirurgia do Brasil e de outros países, como Estados Unidos, França, Reino Unido, Chile e Colômbia.

O curso recebe mais de cem participantes, vindos de várias partes do Brasil e até de outros países. Além do interesse pelo próprio curso, o cenário paradisíaco da Amazônia, somado aos atrativos culturais e gastronômicos do Pará, também tem agradado. “O curso está sendo muito bom, as aulas são muito interessantes. A região é incrível, não esperava que fosse tão diferente e tão bonito. Está superando as expectativas”, conta a residente de Neurocirurgia, Nastassja Sales, que mora no Rio de Janeiro.

Ela veio acompanhada da estudante de Medicina Eva Rollim. “Estou achando tudo inusitado para um evento de Neurocirurgia, porque nós costumamos sempre nos reunir em grandes centros urbanos, que são locais que tem muitos médicos. Quando soubemos que seria aqui, o primeiro desafio foi vir para Santarém, porque não conhecíamos o lugar. E, realmente, só está presente neste evento quem realmente gosta do assunto e quer se aprofundar. Para mim, que ainda estou descobrindo o que quero fazer na residência, está sendo muito importante e proveitoso”, diz.

O Governo do Estado do Pará e a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar são apoiadores do evento. “Este curso, de âmbito internacional, possibilita aos profissionais locais que trabalham na área de Neurologia, principalmente no Hospital Regional de Santarém, a oportunidade de conhecer grandes nomes nacionais e internacionais, e trocar experiências. Isso agrega valor às práticas que passarão a ser constantes no atendimento ofertado aos pacientes, porque isso se traduz na qualidade do hospital”, explica o secretário de Estado de Saúde Pública, Vitor Mateus.

Para o secretário, é fundamental investir em conhecimento, principalmente na área da saúde. “Governo e Pró-Saúde se uniram para garantir que capacitações e intercâmbios como esses possam ser mais frequentes, proporcionando não só para os que estão aqui, mas para aqueles que colherão no futuro essa semente de incentivo que está sendo plantada e que resultará em novos e melhores serviços na região”.

O diretor de Operações da Pró-Saúde, Jocelmo Mews, diz que apoiar a formação profissional e disseminação do conhecimento faz parte dos desafios da entidade. “Para nós, da Pró-Saúde, é uma alegria poder apoiar um evento desta magnitude, e acerca de um assunto que é tão importante. Nós precisamos dar mais importância para isso, principalmente aqui onde estamos, praticamente no meio da Amazônia. Isso faz parte do nosso posicionamento, enquanto instituição, de ofertar um serviço mais humanizado, de maior qualidade àqueles que necessitam", afirma.

A Pró-Saúde gerencia o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, e mais cinco hospitais públicos no Pará. A unidade do Baixo Amazonas é habilitada como Hospital Ensino desde 2014, tendo como missão institucional aliar o ensino e a pesquisa à assistência de excelência aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). O serviço de Neurocirurgia é um dos principais ofertados.

As palestras abordaram cinco áreas principais: trauma, malformações e deformações cranianas, tumores, hidrocefalia e disrafismo espinhal. “Esse curso é sólido, implica em conhecimento, educação, e vai garantir que centenas de crianças sejam melhor tratadas", comentou o organizador local do evento, neurocirurgião Érik Jennings.

A ideia do curso é promover o conhecimento no interior da Amazônia, considerando que, apesar dos avanços tecnológicos e da disseminação do conhecimento científico médico, grande parte da comunidade neurocirúrgica não tem acesso direto aos núcleos acadêmicos que produzem tais conhecimentos. Essa dificuldade se ressalta ainda mais na região Amazônica, onde existe um vasto território com poucos centros formadores e produtores de conhecimento.

Segundo o diretor Operacional da Pró-Saúde no Pará, Paulo Czrnhak, para promover a qualidade de vida na região é primordial fomentar o desenvolvimento, e nesse sentido, a disseminação do conhecimento é primordial. 'Estamos contribuindo com o desenvolvimento regional no Pará por meio dos hospitais, que como o HRBA, estão desempenhando um papel de formador de profissionais. Cursos como este, que trazem médicos altamente especializados, são essenciais para a troca de experiências e para o aprimoramento das técnicas já utilizadas aqui", comentou.

O evento é uma atividade de educação continuada e disseminadora de conhecimentos e da prática neurocirúrgica segura. O presidente da ISPN, William Harkness, se declarou encantado com o cenário da região e com o comprometimento dos participantes. “É um prazer estar aqui representando a ISPN. É muito importante que este curso seja realizado aqui, nesta região, a partir de um esforço conjunto."

Apenas dois cursos desse tipo são realizados anualmente na América Latina. O primeiro deste ano aconteceu em Buenos Aires, na Argentina. O representante da Flanc, Kemel Ghotme, agradeceu a oportunidade em participar da programação. “Em nome da Flanc, é muito importante compartilharmos os conteúdos desse curso, que são fundamentais para o avanço do conhecimento”.

O evento também conta com o apoio da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia Pediátrica, Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Academia Brasileira de Neurocirurgia, Casa do Saulo e Prefeitura de Santarém.

Fonte: Hospital Regional do Baixo Amazonas -Dr. Waldemar Penna (Santarém)-HRBA
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores