Breaking News

Associações, grupos, conselhos e entidades representativas participam de oficina de avaliação, planejamento e fortalecimento institucional em Oriximiná


Associações, grupos, conselhos e entidades representativas participam de oficina de avaliação, planejamento e fortalecimento institucional.

Além de Oriximiná as oficinas serão realizadas nos municípios de Faro e Terra Santa e fazem parte da estratégia de fortalecimento institucional promovida pelo eixo Capital Social

Aproximadamente 50 pessoas ligadas às associações, grupos, conselhos e entidades representativas do município de Oriximiná participaram nesta semana de uma oficina de avaliação, planejamento e fortalecimento institucional realizada pelo Programa Territórios Sustentáveis, por meio do eixo Capital Social. Durante a oficina foram apresentados os resultados da aplicação de matrizes de sustentabilidade, uma ferramenta metodológica que avalia o nível de evolução de cada associação, grupo, sindicato e conselho municipal, com base em indicadores.


O coordenador da Unidade Integrada de Defesa Ambiental de Oriximiná (Unida), Miguel Canto, já participa das oficinas ministradas pelo Territórios Sustentáveis e para ele a integração com as demais associações entre outros participantes é um ponto importante bem como o conhecimento das metodologias apresentadas. “Muitas vezes você está dentro de uma associação e não consegue enxergar os problemas onde eles estão e a Matriz foi fundamental para que a gente pudesse perceber onde estamos, onde precisamos melhorar e principalmente o que vamos fazer para melhorar nos pontos que não estamos tão bem”, ressaltou o coordenador.

A presidente do Bairro da Cidade Nova, Ozenira Gonzaga Ferreira, que reconheceu todo apoio dado pelo Territórios Sustentáveis para fortalecimento da sua associação. “Em abril estou deixando a associação, na verdade agora estarei como vice-presidente e no início foi bem difícil porque eu não tinha nenhum tipo de conhecimento e as oficinas vieram para esclarecer as dúvidas sobre como funciona uma associação, o que é estatuto, o que é regimento interno e participar foi muito esclarecedor e agora nós temos tudo para melhorar a estrutura física e jurídica”, recordou a presidente


Segundo a coordenadora do Eixo Capital Social, Renata Freire, as oficinas fazem parte do cronograma de atividades estabelecidos para 2018 e visam a reflexão e a melhoria da gestão dentro de cada entidade. “A Matriz da Sustentabilidade avalia os avanços de cada uma das organizações por meio de 20 indicadores que vão desde a capacidade de gerenciar recursos até de elaborar e cumprir planejamentos anuais e plurianuais. Nós analisamos 20 indicadores e estabelecemos quatro patamares que são classificados por cores em uma escala crescente de sustentabilidade. Como exemplo, posso citar o indicador "principal fonte de renda da associações", sendo que a cor vermelha, patamar mais baixo, sinaliza situação crítica (a associação depende de doações); a cor laranja sinaliza situação ainda não satisfatória (a associação depende de projetos a fundo perdido); a cor amarela demonstra uma situação regular (a associação consegue sobreviver com o recurso das mensalidades dos associados) e, a cor verde, patamar mais alto, sinaliza uma situação desejável (a associação tem como principal fonte de renda a comercialização de serviços e produtos)”, informou Renata.

A aplicação da matriz da sustentabilidade foi iniciada em janeiro, um trabalho desenvolvidos pelas estagiárias do Programa Territórios Sustentáveis que atuam nos escritórios locais nos municípios de Faro, Terra Santa e Oriximiná e tem por objetivo fornecer uma visão global da situação de cada uma das organizações. Além de Oriximiná as oficinas de avaliação, planejamento e fortalecimento institucional foram realizadas em Terra Santa e Faro

O Programa Territórios Sustentáveis é uma iniciativa que visa contribuir para a construção de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável nos municípios de Faro, Terra Santa, Oriximiná nos eixos Gestão Pública, Gestão Ambiental, Desenvolvimento Econômico, Capital Social e Quilombola. O programa terá duração de quinze anos e é fruto da gestão integrada na Amazônia de três organizações sociais, Agenda Pública, Ecam e Imazon, com apoio financeiro da Mineração Rio do Norte.

Conheça mais do Programa acessando nosso site www.territoriossustentaveis.org.br ou baixe nosso App no Google play.

Fonte: Marta Costa
Postar um comentário

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho