Breaking News

Transmissão do Çairé 2017 terá mais interação nas mídias sociais


A disputa entre os botos Tucuxi e Cor de Rosa durante o Çairé 2017 será transmitida ao vivo pela TV e Portal Cultura neste sábado (23), a partir das 21h, direto do Çairódromo, na vila de Alter do Chão, no oeste paraense. Internautas também podem acompanhar a festa por meio do Youtubee do Facebook do Portal Cultura.

"Mais uma vez a TV Cultura do Pará cumpre seu papel enquanto emissora pública no sentido de levar as manifestações culturais e religiosas da Amazônia para os 115 municípios paraenses que recebem o sinal da rede. O Çairé é uma festa muito aguardada na região do Baixo Amazonas e poder levar isso para todo o estado é muito gratificante para a equipe", destaca Paloma Andrade, coordenadora de produção da TV Cultura do Pará. 

Para comandar a transmissão, a emissora convocou o jornalista Walmir Rodrigues, que estará ao lado das repórteres Lenne Santos e Amanda Campelo. Cada repórter ficará responsável por trazer novidades e curiosidades das apresentações dos botos Tucuxi e Cor de Rosa. No total, serão mais de sete horas de programa com a mais antiga manifestação da cultura popular da Amazônia.

A transmissão também será mais focada na participação do público por meio das mídias sociais da Cultura Rede de Comunicação. "Durante o programa vamos procurar saber o que os internautas estão achando das apresentações. Também faremos enquetes. É uma maneira de interagir com o público que nos acompanha todos os anos por meio das mídias sociais da Cultura", completa Paloma. 

Tradição
O Festival dos Botos, como é conhecido, começou em 1997 quando a disputa foi agregada à festa do Çairé, em Alter do Chão, a partir da iniciativa dos próprios moradores da vila. Antes, as apresentações eram feitas de forma coreografada por um grupo local. A partir de 1998 os botos passaram a retratar a lenda, separadamente, quando se apresentaram pela primeira vez no Çairódromo - local onde a festa é realizada até hoje. A disputa entre o Tucuxi e o Cor de Rosa, no entanto, só começou a valer mesmo em 1999 e desde então tem sido acirrada. 

Sedução, morte e ressurreição compõem o roteiro da história que é recontada todos os anos pelos dois grupos, entremeada por lendas regionais e personagens símbolos da festa, como as tribos indígenas, a cunhã-borari, a rainha do lago verde, a rainha do Sairé, o tuxaua, o pajé e os pescadores. Para receber a competição, o centro do Çairódromo se transforma em um lago fictício onde os integrantes dos dois grupos folclóricos fazem suas evoluções, em meu a um espetáculo de cores, sons e efeitos especiais. 

Fonte: Fundação Paraense de Radiodifusão FUNTELPA-FUNTELPA

Nenhum comentário

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho