sábado, 16 de julho de 2016

AMB entrega carta de apoio e visão da entidade sobre questões estruturais e estratégicas de longo prazo ao ministro da Saúde


Encontro marca a reabertura de diálogo entre o Ministério da Saúde e a classe médica brasileira


Primeiro ministro da saúde a visitar a AMB desde 2007, Ricardo Barros recebeu das mãos de Florentino Cardoso, presidente da AMB, uma carta com a visão da entidade sobre questões estruturais e estratégicas de longo prazo. O encontro aconteceu na sede da Associação Médica Brasileira, em São Paulo, e marca a retomada do diálogo do Ministério da Saúde com a categoria médica.

“O nosso objetivo é dar condições aos senhores médicos e profissionais da saúde, melhores condições de infraestrutura, insumos e equipamentos para que vocês pratiquem o melhor e com mais qualidade, atendimento às pessoas que necessitam dos serviços de  saúde no Brasil”, disse o ministro no início da reunião.

O ministro afirmou que a participação dos médicos é fundamental para que os protocolos e diretrizes da saúde pública sejam atualizados com comprovação científica e permita elevar a qualidade da saúde pública, sem aumentar os gastos do governo. "Não estamos em um momento de gerar novos gastos, mas sim, de fazer mais com aquilo que temos. E eu vou fazer”, disse o ministro.

Florentino Cardoso mostrou a disposição da categoria em contribuir para a melhoria da qualidade da saúde no Brasil. Enfatizou que “saúde se faz com assistência, ensino, pesquisa e gestão” e concluiu: “temos expertise e não queremos nada em troca para contribuir, para fazer o melhor para a população brasileira”. Ele também enfatizou a visão da AMB: há necessidade de políticas de Estado, não de partidos e nem de governos.

Florentino criticou a falta de médicos na atenção básica: "Medicina de Saúde e Comunidade é uma especialidade e não se pode aceitar que o governo diga que a cada ano ou semestre este especialista possa ser trocado na comunidade em que atua, pois assim não terá o resultado esperado na atenção primária" exemplificou.

Representantes de mais de 30 sociedades de especialidades médicas participaram do encontro e tiveram a oportunidade de dialogar com o ministro e apresentar os principais problemas de cada especialidade.

Atento, o ministro Ricardo Barros comentou todas as questões e disse que irá colocar todos os temas na pauta para acompanhamento. Ele aceitou, inclusive, a sugestão de um dos médicos para retornar à AMB em quatro meses para apresentar aos médicos o que evoluiu após esse encontro. 

Fonte: André Oliveira
Reações:

0 comentários:

Lava jata do gaúcho

Lava jata do gaúcho

Marcadores